Sindicato protesta contra trabalho presencial do grupo de risco e por mais contratações no BB

“Sextou” do bancário vai continuar
2 de dezembro de 2021
Dia de Luta: Bancários da CAIXA e do BB protestam por melhores condições de trabalho
7 de dezembro de 2021
Mostrar tudo

Sindicato protesta contra trabalho presencial do grupo de risco e por mais contratações no BB

O protesto chama atenção, também, para a falta de funcionários nas agências do BB, o que gera sobrecarga de trabalho, adoecimento de bancárias e bancários e ainda prejudica o atendimento prestado à população.

Nesta quinta-feira, 2 de dezembro, os bancários do Banco do Brasil de todo o país realizaram um Dia Nacional de Luta, em protesto contra o fim do trabalho em home office e pela implementação do acordo de teletrabalho.

Em Ribeirão Preto, as atividades foram concentradas no prédio que abriga diversos órgãos regionais, e percorreu demais agências localizadas nas Avenidas Saudade, 13 de Maio, 9 de Julho e a agência Estilo da Avenida Independência.

Na semana passada, o banco divulgou a escala para o retorno gradativo, com a meta de, até o final de dezembro, não ter mais nenhum funcionário em home office. A escala inclui o retorno dos funcionários do grupo de risco. Mas, em algumas localidades, 100% dos trabalhadores já estão em trabalho presencial.

A mobilização nacional destaca que o Banco do Brasil não negociou o retorno ao trabalho presencial com as entidades representativas e descumpriu o acordo com os trabalhadores. O movimento sindical cobra a implantação imediata do teletrabalho para proteger a saúde de bancárias e bancários do grupo de risco.

O dirigentes sindicais dialogaram com os trabalhadores e distribuíram panfletos alusivos ao manifesto contendo explicações e orientações sobre a atitude intempestiva do banco que determina a convocação desordenada de funcionários dos grupos de risco para o trabalho presencial.

Atestado médico

O Sindicato orienta que, antes de retornar ao trabalho presencial, o bancário do grupo de risco consulte um médico de sua confiança e solicite um laudo sobre as suas comorbidades em relação ao coronavírus, autorizando-o ou não ao retorno.

Pesquisa realizada pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) com 13 mil bancárias e bancários, e divulgada em setembro, comprovou a efetividade do teletrabalho para reduzir o risco de contaminação dos bancários pela Covid-19. O levantamento mostrou que quase 40% dos bancários que trabalharam presencialmente contraíram Covid-19, contra 23% dos que ficaram em home office. 

Além disso, segundo a Fiocruz, que foi consultada pela Contraf-CUT, as pessoas do grupo de risco com comorbidades deveriam voltar ao trabalho presencial somente mediante a orientação de um médico assistente.

#DiaNacionalDeLutaNoBB

Além das atividades nos locais de trabalho, também foi realizado um tuitaço, às 11h desta quinta 2, no qual foram postadas mensagem com a hashtag #DiaNacionalDeLutaNoBB, em protesto pelo fim do trabalho em home office e pela implementação do acordo de teletrabalho.