Dia de Luta – Sindicato esclarece reestruturação do BB

O Espelho – Traz uma análise dos principais pontos da reestruturação que está sendo imposta no Banco do Brasil
12 de fevereiro de 2020
Mostrar tudo

Dia de Luta – Sindicato esclarece reestruturação do BB

Mudanças são prejudiciais aos funcionários concursados, de carreira; reduzem salários e podem atingir a PLR

Dirigentes do Sindicato dos Bancários de Ribeirão Preto e Região, realizaram Dia de Luta nesta quarta-feira (12/02) em agências do Banco do Brasil em protesto contra mudanças impostas por meio do programa “Performa”.  O dia de mobilização, que acontece em todo o país, esclareceu sobre a reestruturação anunciada pelo banco e suas consequências, já que altera o plano de plano de carreiras e salários e pode inclusive levar à redução no valor da Participação nos Lucros ou Resultados (PLR) pago aos funcionários.

O prejuízo na PLR pode ocorrer porque, como é paga com base no valor de referência (VR) da gratificação e as mudanças anunciadas reduzem o VR, também a PLR será menor. A próxima parcela (que tem de ser efetuada até o final de março) ainda não sofre alterações, porque diz respeito ao semestre passado, mas a alteração passa a valer a partir deste ano.

A reestruturação também atinge o salário mensal. Com a alegação de aumentar as remunerações para evitar a perda de funcionários para outros bancos e empresas privadas, o BB instituiu bônus de até quatro salários por ano para quem cumprir metas. Em contrapartida vai reduzir os valores de referência das gratificações pagas aos funcionários.

De acordo com a Comissão de Empregados do BB as mudanças podem gerar perdas de até 15% da remuneração mensal dos funcionários, que são concursados, de carreira, e conquistaram o emprego por méritos próprios, enquanto aumentam os daqueles que foram nomeados pelo governo e da direção do banco, indicados pelo mercado.