Comando dos bancários negocia com Fenaban cláusula sobre teletrabalho

Teletrabalho abre negociação entre sindicatos e os bancos
3 de agosto de 2020
Primeira reunião da minuta de reivindicações específica dos empregados da Caixa será sexta-feira (7)
5 de agosto de 2020
Mostrar tudo

Comando dos bancários negocia com Fenaban cláusula sobre teletrabalho

Nesta terça-feira, 04, a Federação dos Empregados em Estabelecimentos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul acompanhou a primeira rodada de negociação da Campanha Nacional dos bancários. O tema Teletrabalho foi debatido pelo Comando Nacional e a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). A necessidade dos bancários foi evidenciada pelo Comando durante a apresentação da pesquisa realizada com a categoria, que demonstrou entre as principais reivindicações, a disponibilização de equipamentos e mobiliários adequados, o respeito à jornada de trabalho com planejamento antecipado de reuniões e definição de horários, a não intensificação das metas, entre outras. A necessidade da reiteração do acordo coletivo também foi defendida pelo Comando Nacional à representação dos Bancos.  

Em resposta aos apontamentos apresentados pelo movimento sindical, a Fenaban se comprometeu a consultar os bancos e retornar em breve com resposta aos bancários.

Principais reivindicações
Os apontamentos feitos pelo Comando Nacional incluem:
Apresentação da cláusula específica sobre Teletrabalho com a manutenção de todos os direitos, entre eles, respeito à jornada, igualdade de oportunidades, ressarcimento de custos e fornecimento de equipamentos; Reivindicações com base em pesquisa aplicada aos bancários e defesa pelo tema no acordo coletivo. De acordo com a pesquisa respondida pela categoria, o teletrabalho chegou a alcançar cerca de 300 mil pessoas em home office. O resultado demonstrou ainda, impactos como o agravamento da saúde após o teletrabalho, custos com equipamentos não compensados pelos bancos e jornadas de trabalho excessivas. A pesquisa serviu de base para a cláusula 56 da minuta de reivindicações, específica sobre o tema.

Dados da pesquisa realizada com a categoria sobre o tema foram apresentados. Reivindicações serão apresentadas aos Bancos e respondidas em breve pela Fenaban

A pesquisa foi feita pelo Departamento Intersindical de Estudos e Estatísticas Socioeconômicas (Dieese), com cerca de 11 mil bancári@s que estavam em teletrabalho. Dentre os números apontados, apenas 19% disseram ter espaço apropriado para o trabalho em suas casas e quase 50% dos consultados responderam que utilizam a sala de suas casas como escritórios e 5% responderam ainda, que a cozinha é utilizada no teletrabalho.

Bancos

O Presidente do Sindicato dos bancários de Ribeirão Preto e Região, Ronaldo Silvino informou que ao receberem a cláusula específica sobre teletrabalho, os representantes da Fenaban disseram que inicialmente não há consenso entre os bancos sobre negociar o tema e há quem queria fazer negociações individuais com os funcionários ou Acordos Coletivos por banco. No entanto, os negociadores da Fenaban afirmaram que a pesquisa apresentada é importante para ser melhor debatida entre os bancos. E que após a cobrança do Comando de que o teletrabalho passe por negociação coletiva, vão levar o resultado da pesquisa para o setor com os argumentos levantados na reunião para reavaliarem e realinharem suas posições sobre o teletrabalho.

“Não podemos aceitar a negociação individual. A Fenaban se comprometeu apresentar a pesquisa para os bancos, com todas as ponderações do movimento sindical, para que eles revejam esse posicionamento. A pesquisa do Dieese mostra claramente a piora dos indicadores de saúde na categoria, há efeitos na jornada de trabalho, custos maiores para quem está em home office, são indicadores que precisam ser respeitados”, destacou Silvino

Próxima reunião

O tema do teletrabalho será retomado durante as negociações entre o Comando e a Fenaban. A próxima reunião de negociação será na quinta-feira (6), a partir das 14h, quando o tema a ser debatido será a questão do emprego.