Foi dada a largada para a Campanha Salarial 2018: Sindicato presente no ERBAN

Sindicatos cobram melhorias do Saúde Caixa, melhores condições de trabalho e nenhum direito a menos
25 de abril de 2018
NOTA DE ESCLARECIMENTO SOBRE A PERDA DO MANDATO DO DIRIGENTE SILVIO GONÇALVES
30 de abril de 2018
Mostrar tudo

Foi dada a largada para a Campanha Salarial 2018: Sindicato presente no ERBAN

Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul dá inicio as discussões sobre a Campanha Salarial 2018

Na terça-feira, 24, aconteceu em Caraguatatuba, o Encontro Regional dos Bancários (Erban), realizado pela Federação dos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb-SP/MS). O Sindicato dos Bancários de Ribeirão Preto e região, esteve presente e participou ativamente das discussões sobre os desafios para o enfrentamento diante da atual situação da categoria, a conjuntura política e econômica do país, a luta por melhores condições e a garantia de direitos, com vistas à Campanha Salarial 2018.
Os dirigentes sindicais presentes no ERBAN 2018, debateram temas como: Emprego, Remuneração, Saúde e Condições de Trabalho e Liberdade Sindical, bem como, as estratégias a serem adotas na campanha, diante do grande desafio da primeira campanha salarial pós Reforma Trabalhista e da tentativa de desvalorização do movimento sindical.
Além de Ribeirão Preto com os diretores Itamar Inácio de Faria, Nilton Aparecido Tritula e Sandra Burgueira Delphino, estiveram presentes, dirigentes sindicais das cidades de Piracicaba, Rio Claro, São Carlos, Jaú, Franca, Três Lagoas, Ponta Porá, Corumbá e Andradina.
A Reforma Trabalhista e a situação política do país ganharam destaque no encontro. Compondo a mesa principal, o presidente do Sindicato de Piracicaba, José Antonio Fernandes Paiva, falou sobre as consequências e os impactos da aprovação da Lei Trabalhista na vida dos trabalhadores, como o desemprego, baixos salários e o aumento de acidentes de trabalho.

Autocrítica:

Paiva falou sobre a necessidade de união do movimento sindical diante do cenário político atual e das ameaças a democracia e aos trabalhadores. “Neste ano temos um processo de extrema retirada de direitos e nós precisamos pensar, refletir e agir da melhor forma para não aceitar que isso ocorra. A nossa meta tem que ser, nenhum direito a menos. Afinal quem está somando perdas são os trabalhadores, os bancários, visto que o lucro do sistema financeiro está em alta. Precisamos nos organizar, saber quais ferramentas utilizamos para construção de novas lutas contra os banqueiros, e para isso temos que ter em mente a defesa de nossa democracia e também de um cenário político neste ano eleitoral que defenda o trabalhador”, comenta.

Metas:

Além disso, Paiva expôs os dados coletados pela pesquisa Perfil Bancário que aponta o crescente número de assédio moral dos bancos devido às metas abusivas. “Os bancários estão morrendo dentro dos bancos! Estão lançando mão de remédios controlados, e vivem em extrema tensão, em nossa pesquisa registramos mais de 20% de relatos de assédios nas agências, precisamos garantir que isso pare, pois afeta diretamente a saúde do trabalhador”, comenta.

Grupos de trabalho:

Atualização das reivindicações da categoria foram discutidas durante o Encontro. Na pauta, assuntos como remuneração e emprego, saúde, segurança e igualdade de oportunidades. Dirigentes sindicais buscam melhoria de salários, benefícios, planos de carreira, contratação de negros no sistema financeiro, PLR, mais empregos, estabilidade e liberdade sindical.
No grupo que tratou sobre Emprego, os dirigentes, defenderam a importância de se manter a homologação sendo realizadas no Sindicato. “Numa homologação feita dentro da empresa não se é possível garantir o melhor para o funcionário, em muitos casos o próprio bancário pode não saber de seus direitos e ser lesado”, comentam.

Redação Seeb-RP, com colaboração do SindBan